Motobomba ou Bomba d’Água, como escolher?

Este é um guia para te ajudar a escolher sua Bomba d’Água ou Motobomba.

Nós vamos tratar neste guia da transferência e bombeamento de água limpa sem partículas, porém os princípios se aplicam para qualquer líquido. Você precisa avaliar se a bomba pode ter contato com os produtos que você vai bombear, como óleo, ácido corrosivo, leite, combustível, etc.

Uma bomba d’água (motobomba) normalmente é utilizada para transferir água de um local para outro. Exemplos:

 Transferir do poço artesiano para uma caixa d’água;

 Da cisterna do andar térreo do prédio, para a caixa d’água alguns andares acima;

 Do açude ou do rio de uma propriedade rural para irrigar uma plantação;

 Retirar água da chuva que acumulou numa obra;

Para comprar a bomba d’água certa você precisa entender o que é M.C.A.

Assim como metros são unidades de medida de tamanho, e metros cúbicos, unidades de volume, M.C.A. é uma unidade de medida de pressão, geralmente utilizada para dimensionar bombas d’água e produtos hidráulicos.

M.C.A.– que significa “Metros de Coluna d’Água, indica qual a pressão que a água exerce sobre determinada altura.

ou seja, 1 m.c.a = 1 metro de altura.

O chuveiro elétrico do seu banheiro precisa de no mínimo 1,5 M.C.A. e no máximo 40 M.C.A. para funcionar. Isto quer dizer que a caixa d’água dever estar no mínimo a 1,5 metros acima do chuveiro da sua casa, e a caixa d’água deverá estar no máximo a 40 metros de altura do chuveiro, para o caso de você morar num apartamento. Altura abaixo de 1,5 m não terá pressão suficiente para o chuveiro funcionar e altura acima de 40 metros os componentes do chuveiro não aguentarão tanta pressão. No caso de prédios acima de 40 metros, as construtoras instalam válvulas de redução de pressão.

Para escolher a bomba d’água certa, vamos avaliar a que altura (pressão) precisamos bombear a água. A altura de bombeamento é medida em m.c.a., que você já sabe como calcular, (1 metro de altura = 1 m.c.a.).

Para escolha correta de uma Bomba d’Água (Motobomba), precisamos avaliar:

1. Altura e comprimento da tubulação de captação da água, os técnicos chamam isto de sucção, por exemplo num poço, calculamos da superfície da água até a entrada da motobomba, esta é a altura de sucção. No caso de um poço, normalmente altura e comprimento da tubulação de sucção são iguais. Outro exemplo pode ser a captação de água de um rio, subindo um pequeno morro até a bomba. A altura pode ser 1 metro (elevação do rio até a motobomba) e o comprimento da tubulação de 20 metros, que corresponderia à distância entre o rio e onde estará instalada a motobomba.

2. Altura e comprimento da tubulação até a caixa d’água ou reservatório, para onde precisamos transportar a água. Tecnicamente é chamada altura de recalque, sendo medida da saída da Bomba até a entrada da caixa d’água, também representado na unidade de medida M.C.A.

3. Vazão, quantidade de litros de água que precisamos transportar em determinado tempo, m3/hora, litros/hora ou litros/minuto.

4. Tubulação e Conexões, precisamos definir a bitola da tubulação 3/4 , ½ , 1 “ e o material dos tubos (PVC ou Ferro), no caso de tubos de ferro é importante saber se é novo ou usado, se usado quantos anos tem este tubo. As vezes já tem a tubulação no local e você vai utiliza-la no seu projeto. Os tubos são a estrada por onde a água vai passar. Podemos comparar o PVC a uma estrada asfaltada, a tubulação de ferro nova a uma estrada asfaltada com alguns buracos e a tubulação de ferro usada a uma estrada de terra. Precisamos andar em velocidades diferentes em cada estrada, isto vai acontecer com a água, no tubo de PVC a água vai andar mais rápido, no tudo de ferro novo a água movimenta-se um pouco mais devagar e no tubo de ferro usado, as paredes do tubo terão alguma ferrugem que vai fazer a água movimentar-se mais lentamente ainda, quanto mais anos de uso do tubo mais ferrugem e mais lentamente vai caminhar a água. As conexões hidráulicas, joelhos, registros e válvulas também fazem a água diminuir a velocidade. É bom contar quantas conexões de cada uma você vai instalar na rede toda. Depois é só calcular as perdas. Clique aqui para ver a tabela de perdas, se precisar, é só consultar para seu projeto. [ANEXAR TABELA DE PERDAS]

Motobomba para Poço

Para medir a profundidade do poço utilize uma trena a lazer até a superfície de água, lembre-se de medir da borda do poço até a bomba, esta é a altura de sucção. Se você não tiver a trena a laser, você pode usar uma corda com um peso amarrado. Desça a corda até o peso encostar na água, faça um nó da corda até a altura onde ficará a bomba, depois é só medir a corda com uma trena, do nó ao peso. No caso de um poço a altura de sucção e o comprimento da tubulação de sucção serão iguais.

Motobomba para Irrigação

Nos sistemas para irrigação, muitas vezes precisamos transferir água do rio, que sempre está na parte mais baixa do terreno, para partes mais altas.

Para medir o comprimento da tubulação é só utilizar uma trena, cuidado com a medida “a passo”, pois esta pode apresentar muita variação e isto poderá fazer você decidir pela bomba que não atenderá sua necessidade.

Você vai precisar;

 Cabo de vassoura, marcado com 1,50 m

 Linha de pedreiro

 Trena

 Nível de bolha,

 Folha de papel e caneta/lápis para anotação.

Primeiro determine o trajeto da sua tubulação sobre o terreno, da água até a bomba e da bomba até a caixa d’água, vocês vão caminhar sobre este trajeto fazendo a medição de distância (comprimento) e da altura.

No exemplo, vamos utilizar uma tubulação de ferro usado de ¾ “ 1“

Precisamos de 3.000 litros (3 m3), para cada irrigação, vamos molhar as plantas pela manhã e a tarde, precisamos de 3m3 na caixa d`água as 8:00hs da manhã e outros 3m3 as 16:00.

No desenho vamos indicar as conexões da rede.

Vamos medir a distância e altura do rio até a bomba (sucção) e da bomba até o alto do morro, (recalque), onde tem uma plantação de tomate que precisa ser irrigada manualmente com regador.

Comece a medir a altura e a distância, 1 pessoa segura o cabo de vassoura na vertical e a linha de pedreiro na marca de 1,50m do cabo e a outra pessoa caminha subindo o morro, desenrolando a linha de pedreiro, a linha de pedreiro nivelada e você caminhando morro acima em determinada distancia a linha de pedreiro tocará o solo. As duas pessoas segurando a linha esticada, uma pessoa confere se a linha de pedreiro está nivelada, encostando o nível bolha na linha.

Quando a linha encostar no chão, marque no papel 1,5 metros altura – x metros de distancia.

Quem ficou no cabo de vassoura, pode medir a distância com uma trena do cabo de vassoura até onde a linha encostou no chão, marque esta distância no papel ao lado do 1,5 metros de altura, repita esta operação até chegar onde a bomba d’água será instalada.

Somando as medidas de altura, você terá altura de sucção e medindo o trajeto dos tubos você terá o comprimento da tubulação de sucção.

Caminhando sobre o terreno você também identificara onde serão necessárias as conexões, para que os tubos possam ser conectados na bomba. Você vai contanto as conexões e anotando. Ao final você terá todas as informações que precisa para calcular qual bomba d’água é a melhor.

Inicie novamente a medição com o cabo de vassoura onde a bomba será instalada e comece a medir altura e distância até chegar onde será instalada a caixa d`água.

Somando as alturas de quantos cabos de vassoura foram necessários para chegar até a caixa d’água, você terá a altura de recalque e somando as distancias você terá o comprimento da tubulação de recalque, não esqueça de avaliar as conexões necessárias para que sua rede de tubo seja instalada.

Abaixo estão os exemplos que falamos acima:

Bombas-1

Bombas-2

Este é realmente um assunto denso. Se tiver qualquer dúvida, comente abaixo que teremos o prazer de lhe ajudar!

129 Comments

  1. Neto 6 de maio de 2016 Reply
    • Fernando Afonso 4 de junho de 2017 Reply
  2. João Edson 25 de julho de 2016 Reply
    • Diogo 1 de fevereiro de 2018 Reply
  3. ALICIA SUSANA FLOREANI 30 de agosto de 2016 Reply
    • mateus 5 de março de 2017 Reply
  4. Filipe 15 de setembro de 2016 Reply
    • José Martins 28 de junho de 2017 Reply
      • vinicius 23 de abril de 2018 Reply
      • Carlos Tadeu 16 de julho de 2018 Reply
    • pedro 19 de outubro de 2017 Reply
  5. madson de souza ferraz 18 de setembro de 2016 Reply
  6. Roberto Mancini 12 de outubro de 2016 Reply
    • Esdras 12 de agosto de 2017 Reply
  7. Jardel mollmann 25 de outubro de 2016 Reply
  8. CARLOS EDUARDO FERREIRA DOS SA 28 de outubro de 2016 Reply
    • nicia maria natividade campolina almeida 5 de novembro de 2016 Reply
      • joaquim 22 de outubro de 2017 Reply
    • CARLOS EDUARDO FERREIRA DOS SA 11 de novembro de 2016 Reply
  9. WELINGTON FREIRE 1 de novembro de 2016 Reply
  10. nicia maria natividade campolina almeida 5 de novembro de 2016 Reply
  11. brayan 19 de novembro de 2016 Reply
    • Fernando Resende 12 de maio de 2017 Reply
  12. wellerson 25 de novembro de 2016 Reply
  13. Mario Machado 13 de dezembro de 2016 Reply
  14. Miguel Sauaia 21 de dezembro de 2016 Reply
  15. carlos am varella 27 de dezembro de 2016 Reply
    • Noemia Santos 3 de março de 2017 Reply
    • ubirajara lemos da silva 6 de março de 2017 Reply
    • ubirajara lemos da silva 6 de março de 2017 Reply
  16. raul 9 de janeiro de 2017 Reply
    • GUSTAVO SALES 22 de novembro de 2017 Reply
      • Elson a Garcial 2 de julho de 2018 Reply
  17. ricardo de C. Oliveira 21 de janeiro de 2017 Reply
    • ricardo de C. Oliveira 21 de janeiro de 2017 Reply
  18. PAULO ANTONIO DE FARIA 20 de fevereiro de 2017 Reply
    • João elon 10 de março de 2018 Reply
  19. LUCIANA PRADO DA SILVA 8 de março de 2017 Reply
  20. joao n s novaes 10 de março de 2017 Reply
    • Naura lima 6 de janeiro de 2018 Reply
  21. Marcos A F Pinto 11 de março de 2017 Reply
  22. Jefferson 12 de março de 2017 Reply
  23. Paulo Sérgio Ferreira 2 de abril de 2017 Reply
  24. jairo dias de barros 4 de abril de 2017 Reply
  25. jairo dias de barros 4 de abril de 2017 Reply
  26. Johnathan 12 de abril de 2017 Reply
  27. DAMASTOR ALVES DE SOUZA 13 de abril de 2017 Reply
  28. orlando 21 de abril de 2017 Reply
  29. WALBER 23 de abril de 2017 Reply
  30. antonio roberto zini 24 de abril de 2017 Reply
    • Fernando Resende 12 de maio de 2017 Reply
  31. antonio roberto zini 24 de abril de 2017 Reply
  32. Almir Silva e Silva 2 de maio de 2017 Reply
    • Leônattas 21 de maio de 2017 Reply
      • Nea 14 de setembro de 2017 Reply
  33. Antonio Carlos Soares Amaral 3 de maio de 2017 Reply
  34. Elias Sozinho 11 de maio de 2017 Reply
  35. Maurício Alves Pinto 11 de maio de 2017 Reply
  36. Cícero Francisco da Silva 16 de maio de 2017 Reply
  37. JAIR 31 de maio de 2017 Reply
  38. Pedro Abilio Reseck 3 de junho de 2017 Reply
  39. Fernando Afonso 4 de junho de 2017 Reply
  40. alain batista 5 de junho de 2017 Reply
  41. Manoel Sampaio 5 de junho de 2017 Reply
  42. LEONAM MATTOS NOGUEIRA 14 de junho de 2017 Reply
  43. Carlos Alexandre 15 de junho de 2017 Reply
  44. Valdir José Bergamasco 19 de junho de 2017 Reply
  45. André Luiz Marinho 3 de julho de 2017 Reply
  46. Leone Prado 6 de julho de 2017 Reply
  47. Gumercindo Almeida Cunha filho 7 de julho de 2017 Reply
  48. Gerailton Ferreira dos Santos 10 de julho de 2017 Reply
  49. Gerailton Ferreira dos Santos 10 de julho de 2017 Reply
  50. JORGE 16 de julho de 2017 Reply
  51. Cleverson 25 de julho de 2017 Reply
  52. Marina 10 de agosto de 2017 Reply
  53. Judson 16 de agosto de 2017 Reply
  54. Robson 18 de agosto de 2017 Reply
  55. Azarias Edson de oliveira 20 de agosto de 2017 Reply
  56. joão francisco marques 22 de agosto de 2017 Reply
  57. joão francisco marques 22 de agosto de 2017 Reply
    • Abraão Albuquerque 22 de setembro de 2017 Reply
  58. luiz carlos 23 de agosto de 2017 Reply
  59. Walderlin 7 de setembro de 2017 Reply
  60. Walderlin 7 de setembro de 2017 Reply
    • rogerio carminatti 24 de setembro de 2017 Reply
    • Carlos Pacheco 26 de setembro de 2017 Reply
  61. sergio 19 de setembro de 2017 Reply
  62. José Carlos de Souza Martins 20 de setembro de 2017 Reply
  63. Tiago Elias da Silva 22 de setembro de 2017 Reply
  64. rogerio carminatti 24 de setembro de 2017 Reply
  65. tania vieira 12 de outubro de 2017 Reply
  66. Marcelo 15 de outubro de 2017 Reply
  67. Jose Agnaldo 16 de outubro de 2017 Reply
  68. Washington 17 de outubro de 2017 Reply
  69. Rui Juliano 21 de outubro de 2017 Reply
  70. Ivanilson santos 22 de outubro de 2017 Reply
  71. Ivanilson santos 22 de outubro de 2017 Reply
  72. Ivanilson santos 22 de outubro de 2017 Reply
  73. Airon 7 de novembro de 2017 Reply
  74. Vladimir Nunes 9 de dezembro de 2017 Reply
  75. Fernanda Viana 13 de dezembro de 2017 Reply
  76. marcos orlando 13 de dezembro de 2017 Reply
    • marcos orlando 10 de janeiro de 2018 Reply
  77. marcos orlando 13 de dezembro de 2017 Reply
  78. Bruno Teixeira 15 de dezembro de 2017 Reply
  79. Roberto Cristiano 17 de dezembro de 2017 Reply
  80. Alexandre 20 de dezembro de 2017 Reply
  81. Ronaldo 28 de dezembro de 2017 Reply
  82. Nivaldo Manoel 28 de dezembro de 2017 Reply
  83. Edson Barreto 9 de janeiro de 2018 Reply
  84. Rodrigo 19 de janeiro de 2018 Reply
  85. Ricardo Antunes Pereira 20 de janeiro de 2018 Reply
  86. Sandra maria 10 de fevereiro de 2018 Reply
  87. Adelson Prereira 21 de fevereiro de 2018 Reply
  88. Cláudio 26 de fevereiro de 2018 Reply
  89. Ana 14 de março de 2018 Reply
  90. Adrian Cardoso ocanha 26 de março de 2018 Reply
  91. Rogério Reis 27 de março de 2018 Reply
  92. Antonio Carlos Dias 29 de março de 2018 Reply
  93. Eduardo Agerico de Lima 10 de abril de 2018 Reply
  94. LUIZ 2 de maio de 2018 Reply
  95. Welton 5 de maio de 2018 Reply
  96. Moises Bomfim 7 de maio de 2018 Reply
  97. TIAGO WENDER MARTINS 8 de maio de 2018 Reply
  98. Odair Simões Ribeiro da Silva 10 de maio de 2018 Reply
  99. Welton 11 de maio de 2018 Reply
  100. THOMAZ BASSO 14 de maio de 2018 Reply
  101. Ricardo da Silva 15 de maio de 2018 Reply
  102. Eliseu Pinheiro Lopes 2 de junho de 2018 Reply

Faça seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *